Digite aqui a palavra-chave.





Home Page > Dicas Veterinárias > Mastite em animais

pinterest



Mastite em animais


 


 


Mastites são inflamações agudas ou crônicas das mamas, mais frequentes em ruminantes, sendo que o agente predominante nestes são bacterianos, predominando os estreptococos, estafilococos e a E. coli, causando entre 80% a 90% das mastites infecciosas.


Esta infecção pode aparecer em todas as fêmeas de mamíferos, mas ela só tem importância econômica e sanitária em bovinos, caprinos e ovinos. Ocorrem durante o ano todo em todos os países, quase que exclusivamente durante a lactação, sendo que a incidência varia de acordo com o tipo de criação, higiene, fatores predisponentes como: a elevada produção leiteira juntamente com as rações ricas em proteínas, traumas na mama e o tipo de ordenha que é realizado.


Causas


A ordenha manual, realizada corretamente predispõe menos ao aparecimento de mastites que a ordenha mecânica, mas as mãos contaminadas podem ser um fator de difusão do agente. Ambos os tipos de ordenha podem não esgotar o leite presente nas tetas, podendo causar mastites assépticas, ou até mesmo sépticas, devido à baixa da resistência, caso haja a presença do agente.


Os agentes presentes na mama multiplicam-se rapidamente, ou mesmo, aproveitar a baixa resistência e alcançar os adenômeros mamários por via ascendente. Neste local, alteram o ambiente celular através da ação de suas enzimas, catabólitos e até mesmo devido à acidificação do meio causada pela fermentação da lactose. A soma destes fatores resulta em uma inflamação com aumento da exsudação do líquido tissular e o pH torna-se alcalino. Há também a migração de neutrófilos e linfócitos para o local inflamado. Em casos muito agudos a mama apresenta-se aumentada de volume e congesta, já em casos mais brandos as alterações visíveis são mínimas, ou até inexistentes.


Sintomas


Os sinais clínicos apresentados em casos agudos são: mama ou quarto afetados apresentam-se inflamados, quentes, doloridos, às vezes com notável hiperemia, conferindo à mama uma coloração rosada intensa até vermelha. Existem casos, como nas mastites estafilocóccicas, que o animal pode apresentar febre, taquicardia, dispnéia, às vezes, apatia com rápida evolução e morte dentro de poucos dias.


O leite, nos casos de mastites aguda, apresenta pus, flocos de caseína (proteína encontrada no leite) coagulada e, em algumas vezes, estrias de sangue. Nas subagudas com tendência à cronicidade, o animal pode apresentar-se assintomático ou pode apresentar uma discreta inflamação inicial, aumento de consistência mamária ou aumento de volume. Já o leite pode apresentar-se normal, aparentemente, com poucas alterações como: pequenos grumos, filamentos ou flocos. Outras alterações que podem ser observadas são aumento de volume por abscessos ou granulomas, fístulas e atrofia de quartos afetados.


Tipos de Mastites


As perdas econômicas devido à mastite clínica são totais, pois o leite tem mal aspecto, não sendo aproveitado. No entanto, é comum haver mastites subclínicas que ocorrem em um ou mais quartos leiteiros e que causam perdas consideráveis. Consideram que hoje, seguindo as recomendações da Federação Internacional do Leite, as mastites são de três tipos:


  • Mastites clínicas: leite com pus, flocos e outros sinais de alteração.

  • Mastites subclínicas: leite aparentemente normal, mas com uma contagem maior que 500.00 de leucócitos/ml e provas químico-clínicas postivas.

  • Infecção latente: leite normal, sem aumento de células nem provas positivas, mas com a presença de agentes patogênicos.


Diagnósticos


Sendo assim, o diagnóstico deve visar os três aspectos da doença. No caso de mastite aguda, o diagnóstico é clínico. Quando a mastite for subclínica ou crônica, ela não diagnosticada pelos métodos convencionais de exame clínico, como inspeção do animal, do leite e palpação. A elevação do número de células somáticas é a principal evidência de uma mastite subclínica. Existem testes que avaliam a quantidade destas células presentes no leite, como o Califórnia Mastitis Test (CMT), o teste da caneca telada, provas com indicadores de pH, entre outros.


O CMT é o teste mais utilizado para o diagnóstico de mastites subclínicas. Seu princípio é baseado na estimativa de contagem de células somáticas do leite. É misturado ao leite uma substância que em contato com o leite produz o desenvolvimento de uma gelificação e modificação da cor do indicador, em casos positivos para mastite. Os resultados são expressos em cindo escores: negativo, traços, um, dois e três sinais positivos.


Tratamento


O tratamento é feito, de modo geral, via mamária com preparados especiais, conhecidos como antimastíticos. As tetas devem ser esgotadas pelo ordenhador, em seguida, é introduzida a cânula da embalagem na teta e depositar todo o conteúdo para dentro do quarto afetado, massageando durante um minuto. Uma semana após o término do tratamento, deve ser feito testes para verificar se a inflamação cedeu.


Prevenção


O segredo para o controle das mastites está na prevenção. É necessário que seja feito um manejo adequado na ordenha, realizando-se uma higienização dos tetos, utilizando equipamentos adequados e realizando os procedimentos corretamente. Existem pontos que devem ser levados em consideração:


  • Imersão dos tetos pré e pós-ordenha, com desinfetante germicida;

  • Descartar os animais que apresentem mastite crônica ou mais de três casos clínicos no mesmo período de lactação;

  • Deve ser realizado um tratamento imediato e adequado;

  • Utilização da terapia da vaca seca para todas as fêmeas do rebanho;

  • Correta manutenção dos equipamentos de ordenha.



Débora Carvalho Meldau

O conteúdo presente no texto acima é responsabilidade dos Autores citados


Gostou do conteúdo animal acima! Então compartilhe em suas Redes Sociais:



Letras de Música com temas Animais:

bullet  Cobra Venenosa

bullet  Inútil

bullet  2345meia78

bullet  Comida de peixe

bullet  Vagalume pato fu

Ver todas as Músicas

Dicas Veterinárias:

bullet  Tapeworms em cães

bullet  Fratura dos ossos metacárpicos e metatársicos

bullet  A caxumba em cães

bullet  Como escolher acessórios adequados para passear com seu cão

bullet  Importância na dosagem da frutosamina no diagnóstico de diabetes em gatos

Ver todas as Dicas Veterinárias

Colunistas - Veterinários que escrevem sobre temas aos leitores

bullet  Leila de Mello

bullet  dr clélio costa carreira
médico veterinário
crmv 1910
hovet campinas - hospital veterinário campinas av orosimbo maia 2565 - campinas fone (19) 3294 3377

bullet  Bruno Evaristo

bullet  https://www.estimacao.com.br/caes e gatos adotar ou comprar doar ou vender/

bullet  Gustavo B. Mano

Confira todos os Colunistas



Cinema, Filmes e Seriados:

bullet  O mar não está prá peixe: tubarões à vista! (the reef 2: high tide)

bullet  Doce pássaro da juventude (sweet bird of youth)

bullet  Batman (1966)

bullet  Procurando nemo

bullet  Um homem, um cavalo, uma pistola (un uomo, un cavallo, una pistola / a man, a horse, a gun)

Ver todos os filmes e seriados

Livros Animais

bullet  Explicação dos pássaros

bullet  Os passaros e suas doencas

bullet  Livro definitivo de dicas e sugestoes de jardinagem

bullet  Atlas colorido de anatomia veterinária do cão e gato

bullet  A princesa e o sapo

Ver todos os Livros

Digite aqui a palavra-chave


© Desde 2000 na Web - CONTEÚDOANIMAL.com.br & - Todos os direitos reservados - Créditos