Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]


Home Page > Dicas Veterinárias > Estudo comparativo entre as técnicas de esfregaços de punção espl?nica e de sangue periférico para diagnóstico laboratorial de babesia equina na regi?o de jundiaí

Compartilhe em suas redes sociais:

Estudo comparativo entre as técnicas de esfregaços de punção espl?nica e de sangue periférico para diagnóstico laboratorial de babesia equina na regi?o de jundiaí



A Babesiose ou Piroplasmose é uma doença intraeritrocitária 
(parasita a célula vermelha do sangue) de mamíferos, transmitida 
por carrapatos e causada pelos protozoários dos 
gêneros Babesia e Theileria.


 


Sua ocorrência tem grande importâ;ncia no meio equestre, pois é uma das principais doenças parasitárias que acometem os cavalos. Animais com anticorpos contra aBabesia, considerados portadores crônicos, tem um nível de desempenho inferior ao dos animais negativos.


 


Apesar da gravidade da doença aguda, há uma grande importâ;ncia em se diagnosticar os animais com a doença subclínica, pois estes portadores crônicos do parasito, além de serem reservatórios, apresentam reagudizações decorrentes da


queda da taxa de anticorpos, o que leva a prejuízos econômicos gerados pela diminuição do desempenho, inapetência e perda de peso.


 


Nos casos em que o animal apresenta sinais de doença aguda ou sub clínica, podem ser feitos esfregaços de sangue para a visualização do parasito em microscopia óptica.


 


O sangue periférico pode ser proveniente da veia jugular ou facial. Durante a fase latente da doença, o parasito geralmente não é visualizado nos esfregaços de sangue periférico, pois a parasitemia é inferior a 0,01% tornando a sensibilidade dessa técnica muito baixa aumentando assim o número de resultados falso negativos.


 


O baço, por possuir uma importante função na hemocaterese, apresenta maior concentração de hemácias parasitadas, justificando o uso da punção esplênica para o diagnóstico, sendo realizada por meio da colheita de sangue diretamente do órgão e posterior confecção de esfregaço.


 


O objetivo desse estudo foi comparar os resultados obtidos com o uso das técnicas de esfregaço de sangue periférico e de punção esplênica (conhecida também como Punção de Baço) para diagnóstico laboratorial de babesioses em cavalos portadores subclínicos na região de Jundiaí.


 


Foram utilizados 17 eqüinos de raças diversas, sem sinais clínicos de babesiose, com peso médio de 350 Kg, idade entre 6 a 13 anos, de ambos os sexos, dos quais foram colhidos sangue da veia jugular e punção de baço.


 


Para o procedimento da punção esplênica foi utilizada agulha 30x0,8 mm e seringa de 10 ml (vide Figura 1). O local de acesso para a punção do baço localiza-se no décimo-sétimo espaço intercostal do antímero esquerdo.



 


 Figura 1 – Procedimento da punção esplênica


 


No local da punção foi realizada previamente tricotomia e assepsia com Iodo Povidona tópico e álcool iodado. A agulha foi totalmente introduzida em um â;ngulo de noventa graus com a pele até chegar ao baço (guiada pelo Ultrassom), quando então foi realizada a aspiração do sangue esplênico. Após esse procedimento foram confeccionados os esfregaços sanguíneos em lâ;mina de microscopia.


 


Após a análise microscópica, no esfregaço de sangue colhido da veia Jugular 6 % dos animais apresentaram resultado positivo para Babesia caballi (vide Figura 2), enquanto que na punção esplênica 29 % apresentaram resultado positivo para a presença de Babesia sp, sendo 80% Babesia caballi e 20% Theileria equi. 


 



 


                                        Figura 2 - Esfregaço sanguíneo de punção esplênica 


                                        mostrando a ocorrência Babesia caballi


 


Conclusão: Os dois métodos são de fácil realização, seguros e pouco invasivos, porém o esfregaço da punção esplênica demonstrou ser mais eficaz para detectar casos latentes de babesiose em equinos (vide Gráfico 1).


 



Gráfico 1 - Comparativo entre esfregaços de punção esplênica 


e de sangue periférico


 



Contatos dos Autores:
Roberto Delort A. Leite e Laura Celi de Souza Silva 



O conteúdo presente no texto acima é responsabilidade dos Autores citados

Gostou do conteúdo animal acima! Então compartilhe em suas Redes Sociais:



Dicas de Profissionais do ramo pet e agropecuário:


bulletComo eu posso interpretar os rótulos de rações

bulletNervo óptico inchaço em cães

bulletMentiras e verdades sobre vacinação canina

bulletSeu cão é bem socializado?

bulletDermatofitose


Ver todas as Dicas de Profissionais



Colunistas - Veterinários que escrevem sobre temas aos leitores



bullet Agencia de Defesa e Inspeção Agropecuária de Alagoas ADEAL

bullet Rita Ericson http://bichosaudavel.com/meu cao late demais/

bullet O Clube Pet Memorial está localizado na Avenida Sadae Takagi, 860, em São Bernardo do Campo, no Grande ABC, acesso pelo km 20 da Rodovia dos Imigrantes, telefones (11) 4343.0000 e (13) 3222.2949, 0800.772.8885 site www.petmemorial.com.br

bullet Débora Carvalho Meldau

bullet Fabiano Gregolin. Administrador de Negócios Mestrando em Comunicação (15) 97776812 fabianogregolin@uol.com.br

Ver todas as Dicas dos Colunistas

Letras de Música com temas Animais:


bulletCachorro viralata baby do brasil

bulletEsse tal de roque enrow

bulletBlues do iniciante

bulletDisparada

bulletGatinha Manhosa

Ver todas as Letras de Músicas

Cinema, Filmes e Seriados:


bulletPets a vida secreta dos bichos

bulletV

bulletThe wolf of wall street

bulletCorrendo pra cachorro (man about dog)

bulletAnimais unidos - jamais serão vencidos


Ver todos os filmes e seriados

Livros Animais

bulletOs segredos dos gatos tudo para entender e ensinar o seu companheiro

bulletUm gato indiscreto e outros contos

bulletO selo da agonia - livro dos cavalos

bulletEnfermidades dos cavalos

bulletGato viriato

Ver todos os Livros

Digite aqui a palavra-chave


© Desde 2000 na Web - CONTEÚDOANIMAL.com.br - Todos os direitos reservados - Créditos