Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]


Home Page > Dicas Veterinárias > Como separar uma briga entre cachorros

Compartilhe em suas redes sociais:

Como separar uma briga entre cachorros


Se você tem ou convive com cães, vai eventualmente presenciar uma briga. E mesmo um embate entre dois pinchers pode causar ferimentos graves, então saber separar a briga rapidamente é essencial.


Uma coisa importante para saber sobre brigas entre cães é que normalmente elas são muito piores quando envolvem duas fêmeas, já que elas brigam para eliminar a rival – o que pode acabar em morte! Dois machos normalmente brigam por disputa de dominâ;ncia, e quando um se “rende”, a briga costuma acabar. Machos costumam aceitar com mais tolerâ;ncia mordidas e rosnados por parte das fêmeas – o que não significa que você não deva intervir.


A segunda coisa importante sobre brigas é que é sempre melhor preveni-las do que separá-las. Quer você tenha dois metros de altura, ou um e meio, cachorros em estado de agressividade podem te fazer um estrago feio, mesmo os pequeninhos e mesmo seu próprio cão.


Prevenir brigas começa com o obvio: não deixe seu cão se aproximar de animais desconhecidos, e não passeie com cães agressivos sem coleira. A castração diminui a agressividade em ambos os sexos; logo, o contrário, a fase da puberdade ou presença de fêmeas no cio ou prenhas, aumenta a rivalidade e a possibilidade de brigas.


A segunda parte da prevenção é menos óbvia, e exige um olhar atento. Cachorros não começam uma briga do nada, eles mandam vários sinais um ao outro antes de atacar: corpo rígido, maxilar tenso, encarar, mostrar os dentes, rosnados. Ao perceber esses sinais, peça ajuda para conter ambos os cães e tirar um do raio de visão do outro o mais rápido possível.


Só que… se tudo der errado e a briga começar, você vai precisar separá-la. Seguem as dicas.


 


O QUE NÃO FAZER


– Não grite, não berre, não se desespere. Isso só vai atiçar e agitar ainda mais os cachorros (mesmo que não sejam seus).


– Não chute os cães. Agressividade só gera agressividade.


– Não segure a coleira deles e não entre no meio de duas bocas cheias de dentes. Não importa que é o seu micro poodle carinhoso que está brigando – ele vai estar alterado e só vai perceber que você é você depois do desastre acontecer.


– Não deixe eles “resolverem” a coisa sozinhos, uma mordida na veia certa mata em minutos.


– Não deixe outros cachorros se intrometerem. Numa briga de grupo, normalmente vão todos para cima de um cachorro só e a coisa fica bem feia bem rápido.


 


O QUE FAZER


– Antes de mais nada, mantenha a calma. É difícil, mas é essencial. Os cães sentem sua energia e se você se agitar, eles se agitam mais.


– Jogue água – é a forma mais eficiente de separar uma briga.


– Use um apito. Se for no parque de cachorros, leve um apito. O som alto e agudo pode ajudar, principalmente se os cães forem treinados.


– Bata o pé no chão, assobie, bata palmas, chie, faça sons altos SEM usar a voz (lembre: sua voz só atiça mais a briga!).


– Use o que tiver em volta para separá-los fisicamente. Seja um galho, uma lixeira, um cone de rua, uma vassoura, um balde, coloque o objeto entre eles e tente fazer com que se afastem.


– Em último caso, use sua perna como barreira. É melhor tomar uma mordida no tênis do que na mão.


– Alguns cães mordem e não soltam mais. Se isso acontecer e não tiver água por perto, levante as patas de traz do cachorro que está mordendo e puxe-o rapidamente para trás. Atenção: ele pode se virar e te morder, seja ágil.


 


Cachorros separados e contidos, corra para o veterinário! A maior parte das mordidas é só um furinho por fora (às vezes quase imperceptível), mas um estrago por dentro. Os cães podem ter veias, órgãos e músculos perfurados mesmo que não aparentem! E eles são mestres em mascarar a própria dor, podem estar com uma hemorragia interna letal e você (ou um veterinário ruim) não perceber até que seja tarde demais.


Além disso, mesmo que tenham realmente sido só arranhões, qualquer machucado precisa ser esterilizado e tratado. Você não pode medicar seu próprio cão e ele vai precisar de antibióticos e spray prata para evitar que um arranhão vire uma bicheira ou uma infecção generalizad



http://gatinhobranco.com/?p=2099

O conteúdo presente no texto acima é responsabilidade dos Autores citados

Gostou do conteúdo animal acima! Então compartilhe em suas Redes Sociais:

Letras de Música com temas Animais:

bulletComo um cão

bulletBorzeguim

bulletUrsinho Pimpão

bulletVida de cachorro

bulletBanzo



Dicas Veterinárias:

bulletLimpeza e remoção de tártaro em felinos

bulletCães gostam de grama

bulletHabronemose cutanea

bulletCachorro vomitando, você sabe o que fazer?

bulletEsqueleto dos equinos



Ver todas as Dicas Veterinárias



Colunistas - Veterinários que escrevem sobre temas aos leitores

bullet Helena A. Hestermann info@happydogs.com.br www.happydogs.com.br>

bullet Equipe Agiliteiros>

bullet Chani Blue http://www.epochtimes.com.br/equoterapiaeficazcombateproblemaspsicologicos/>

bullet Fabio Nakabashi (parkvet@gmail.com) CRMVSP 5997 Tel.: (19) 32724001 End.: Av. Francisco de Paula Oliveira Nazareth, 559 Parque Industrial Campinas SP http://parkve6.wix.com/parkvet>

bullet Mariana LageMarques Médica Veterinária graduada pela Universidade Paulista em 2002. Mestre em Cirurgia pela FMVZUSP em 2008. Sócia Fundadora ABOV (Associação Brasileira de Odontologia Veterinária), 2002. Faço atendimento odontológico móvel. >



Cinema, Filmes e Seriados:

bulletO mar não está prá peixe o mar não está prá peixe

bulletThe dark knight (2008)

bulletOs pássaros feridos (the thorn birds)

bulletQualquer gato vira-lata

bulletAmor pra cachorro (year of the dog)



Ver todos os filmes e seriados

Livros Animais

bulletEu não sou cachorro, não

bulletCrianca, cachorro que fala!

bulletAtlas colorido de anatomia veterinária do cão e gato

bulletO gato que falava com fantasmas

bulletMemorias de um gato

Ver todos os Livros

Digite aqui a palavra-chave


© Desde 2000 na Web - CONTEÚDOANIMAL.com.br - Todos os direitos reservados - Créditos