Home Page > Dicas Veterinárias > Por que castrar ou no castrar ces machos

Por que castrar ou no castrar ces machos


Por que devemos castrar os nossos ces?
a castrao deve ser considerada se tiver um co ( macho) como animal de estimao sem intenes reprodutivas do mesmo deve-se recordar a ttulo de exemplo que os ces de guia para cegos e outras pessoas com defici?ncias so castrados de forma rotineira
existem na castrao muitas vantagens e poucas desvantagens
quais so as vantagens de castrar o co?
a diminuio do impulso sexual que resulta por sua vez num co mais responsvel e sem vontade de vaguear atrs dos cheiros emanados de uma cadela com o cio, bem como a diminuio de determinadas agresses
a cirurgia pode ser efectuada no tratamento de tumores testiculares e por vezes de infeces que envolvem a prstata usada tambm controlar (testosterona) doenas dependentes de factores hormonais tais como tumores em redor do nus
a castrao eficaz para determinados problemas de comportamento e os ces ent?o castrados tornam-se frequentemente mais meigos, mas no perdem nem a sua vivacidade nem a sua intelig?ncia desde que no seja permitido que se tornem obesos so t?o activos quanto os seus colegas inteiros
quais so as desvantagens?
a maioria das desvantagens assumidas como tal so falcias opini?es como as de que o co se tornar gordo, descaracterizado, in e til como um protector, etc a obesidade provavelmente a desvantagem mais citada a alimentao efectuada atravs de uma dieta correcta permite controlar todos os problemas do gordura como faz no animal inteiro o co no se torna descaracterizado mantem as suas habilidades, a intelig?ncia, espirito brincalh?o e a afeio
quando deve a interveno cirrgica ser realizada? trabalhos recentes mostram que a castrao do cachorro imaturo no tem nenhuma desvantagem e a tcnica mais simples, consequentemente sugere-se hoje que a operao esteja realizada antes que o co esteja inteiramente na sua maturidade
h alguma alternativa a castrao cirrgica?
a castrao qumica que envolve o uso de frmacos orais ou injectveis est disponvel mas no tem os efeitos permanentes que seguem a interveno cirrgica acompanhada frequentemente por efeitos secundrios
h algum perigo associado com a operao? a castrao uma cirurgia de rotina mas requer anestesia geral o risco no pode ser ignorado por completo mas com anestsicos modernos e procedimentos cirrgicos eficazes como os disponveis actualmente esta no deve ser uma causa que evite a cirurgia quando colocada na balana com os problemas que adv?m de evitar a mesma em animais novos o risco significativamente mais baixo pois o tempo de cirurgia menor
tendo em vista que a anestesia muitas vezes um factor que assusta o dono cabe umas palavras sobre a mesma
que significa anestesia?
perda do sentimentos ou do sensaes quando ns falamos sobre a anestesia hoje referimo-nos geralmente a anestesia geral isto indica um estado de inconsci?ncia produzido por drogas com a aus?ncia de toda a dor sobre o corpo inteiro a que se alia o relaxamento dos msculos outros tipos de anestesia so usados nos animais como os anestsicos locais espinais que so destinados a circunstncias definidas tambm em determinadas circunstncias
no me preocupo em excesso?
ao preocupar-s em saber mais sobre o processo de anestesia o dono do animal que ser submetido a uma interveno est somente a mostrar-se preocupado com o seu animal, pelo que conv e m em todas as circunstncias, que este esteja bem informado
existem riscos na anestesia?
todos os anestsicos carregam algum risco e cada animal reage de forma diferente a estes nos e ltimos anos anos foram introduzidas muitas melhorias na segurana e no eficcia do processo de anestesia o agente anestsico preparado para cada animal idade, estado de sade , procedimento a ser efectuado so todos considerados individualmente
sempre necessrio que o dono assine um formulrio de consentimento da anestesia, cujo modelo foi estipulado pela ordem dos emdicos veterinrios, no porque temamos algo de mal mas para enfatizar que o procedimento carrega alguns riscos e de que o dono foi informado dos mesmos o dono fica assegurado de que seu animal de estimao estar a ser acompanhado e monitorizado com os melhores cuidados durante todo o procedimento e o perodo da recuperao
como se procede?
que acontece quando entra o animal para a anestesia na altura da entrada, caso no tenha sido feito o acompanhamento pr e vio, o seu animal ser examinado com cuidado para certificar-se de que nenhum problema se levanta que pudesse afectar a sua tolerncia ao anestsico ser-lhe- perguntado quando por e ltimo comeu e bebeu xactamente o qu? a raz?o para esta que se ns tivermos que anestesiar animais com um estmago cheio, este causa e s vezes problemas de respirao quando relaxada sob o anestsico um jejum de 12 horas antes da interveno indicado para evitar o vmito os agentes anestsicos volteis modernos t?m uma menor probabilidade de causar problemas
que acontece em seguida?
uma induo ser administrada hoje este geralmente um sedativo e um analgsico esta combinao assegura-se de que seu co no se preocupe esteja relaxado embora ainda acordado e ciente do que se passa ao seu redor o analgsico ser administrado de modo que quando acorde no sinta dor ou desconforto da cirurgia
hoje existem muitos tipos diferentes de agentes anestsicos depois que a induo teve o tempo para trabalhar, a anestesia geral ser induzida uma vez que o animal perca a consci?ncia ser colocado um tubo endotraqueal que conectado a uma aparelho de anestesia e a manuteno do anestesia comea para este um anestsico gasoso usado geralmente junto com o oxig?nio isto assegura que o oxig?nio suficiente alcana o crebro e os tecidos e permite ao mesmo tempo que as quantidades controladas do agente anestsico selecionado sejam administradas estes agentes t?m uma aco muito mais curta do que algumas das drogas injectveis e consequentemente a anestesia pode ser controlada de uma forma mais precisa durante este perodo o paciente monitorizado com cuidado e a taxa da respirao e o ritmo cardaco so verificados
os clculos so feitos de forma a que quando o animal estiver a sair do bloco operatrio j esteja a acordar e como j referimos, medicado de forma a existir um controlo de dor o animal vai para casa sempre completamente desperto e medicado de forma a no sentir dores


internet

O conteúdo presente no texto acima é responsabilidade dos Autores citados

Gostou do contedo animal acima! Ento compartilhe em suas Redes Sociais:

Letras de Msica com temas Animais:

bulletGato pensa? Adriana Calcanhotto

bulletBoi da cara preta

bulletPaisagem da Janela

bulletCavalo de pau

bulletPoeira



Dicas Veterinrias:

bullet3 motivos importantes para voc mesma aprender como adestrar seu cachorro

bulletPancreatite canina

bulletAprumos dos equinos

bullet9 coisas que voc no sabe sobre ces

bulletPrimeira noite do filhote chegando em casa



Ver todas as Dicas Veterinrias
Colunistas - Veterinrios que escrevem sobre temas aos leitores

bullet http://www.shopveterinario.com.br/artigos/como fazer um bom exame andrologico em bovinos/>

bullet ana cludia de souza andrade gatil gatto dimaili rua tarob,95 - jdmaria luiza - cascavel, pr fones: (45)222-8797/9965-9935 >

bullet Paola Christina Ferreira Carneiro Mdica Veterinria CRMVSP 8145 Dermatologia e Terapeuta Floral MASTERVET Clnica Veterinria Av. ngelo Sim?es,1135, Jd. Leonor , Campinas , SP Fone: (19) 32345363 ou 33843323 >

bullet http://www.oftalmologianimal.com.br/2011/07/afinal caes enxergam cores.html>

bullet Marina Rodrigues http://adestradoradecaes.blogspot.com.br/>



Cinema, Filmes e Seriados:

bulletO miado do gato (the cat s meow)

bulletOs pinguins de madagascar: operao patrulha pinguim

bulletLassie

bulletCacados

bulletMeu cachorro skip (my dog skip)



Ver todos os filmes e seriados

Livros Animais

bulletGato que gostava de cenoura

bulletExplicao dos pssaros

bulletA volta do gato preto

bulletCachorro magro

bulletQuem e mais feliz: voce ou o seu cachorro?

Ver todos os Livros

Digite aqui a palavra-chave


© Desde 2000 na Web - CONTEÚDOANIMAL.com.br - Todos os direitos reservados - Créditos