Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]


Home Page > Dicas Veterinárias > A importância do exame andrológico e avaliação da libido

Compartilhe em suas redes sociais:

A importância do exame andrológico e avaliação da libido


A importâ;ncia da fertilidade do macho nos programas de reprodução é muito maior do que a de qualquer fêmea isoladamente, já que o macho pode se acasalar com número maior de fêmeas, tanto nos sistemas de monta natural como na inseminação artificial. Para evitar a ocorrência de problemas de subfertilidade ou infertilidade nos machos, que por sua vez, possam comprometer os índices de fertilidade do rebanho, os exames andrológicos se fazem imprescindíveis na seleção dos reprodutores e acompanhamento de seus desempenhos reprodutivos.


O exame andrológico completo fundamenta-se na avaliação de todos os fatores que contribuem para a função reprodutiva normal do macho. Por esse exame podem ser detectadas alterações do desenvolvimento do sistema genital, alterações regressivas, progressivas e inflamatórias nos diversos órgãos, bem como distúrbios na libido e na habilidade de cópula. Essas alterações levam tanto à incapacidade de fecundação como de monta, em vários graus, caracterizando quadros de subfertilidade ou de infertilidade.


É comum observar a procura por essa ferramenta apenas em situações de problemas de fertilidade do rebanho. No entanto, essa avaliação deve fazer parte da rotina, no manejo reprodutivo das propriedades, sendo indicada na determinação da ocorrência de puberdade, na avaliação dos reprodutores antes da estação de monta, nos programas de colheita e conservação de sêmen e ainda, nas relações de comercialização dos reprodutores. Assim, o exame andrológico é indicado para prevenir ou diagnosticar problemas reprodutivos a fim de possibilitar a otimização do uso dos reprodutores.


Na realização da avaliação dos machos (comportamento sexual, exame clínico, exame andrológico, etc.), é de fundamental importâ;ncia a colaboração de um médico veterinário com confiável qualificação e experiência na área. Para a condução dos exames deve-se adotar um formulário apropriado contendo a identificação completa do médico veterinário responsável, bem como a identificação do animal e do seu proprietário. O formulário deve conter ainda as especificações do exame clínico geral, do exame da libido, do espermiograma propriamente dito e a conclusão dos achados.


O exame clínico deve ser iniciado pela anamnese, que envolve a obtenção de informações a respeito do animal, a razão pela qual este está sendo examinado e os dados relacionados ao rebanho. As informações do período precedente ao exame são importantes, pois, a produção espermática é um processo contínuo e abrange cerca de 60 dias desde o início da espermatogênese até a ejaculação. No exame clínico geral, o animal deverá ser avaliado quanto à normalidade dos diversos sistemas (respiratório, circulatório, nervoso, digestivo e locomotor). O sistema locomotor merece atenção especial, devido sua importâ;ncia tanto para caminhar em busca de alimento e para procurar por fêmeas em estro, como para efetuar a cópula. Caso sejam detectadas alterações nos diversos sistemas, procedimentos específicos devem ser adotados.


Em seguida ao exame clínico geral, o sistema reprodutor deve ser examinado, iniciando-se pela inspeção e palpação dos órgãos genitais externos. O escroto deve ser avaliado quanto sua sensibilidade, mobilidade, temperatura e espessura da pele. Os testículos quanto à presença, forma, simetria, mobilidade, consistência e sensibilidade, devendo-se realizar a biometria, a qual varia de acordo com a idade e raça do animal. Os epidídimos devem estar intimamente aderidos aos testículos e as avaliações devem seguir os mesmos aspectos relacionados aos testículos. Os cordões espermáticos devem ser examinados quanto sua capacidade de termorregulação testicular. Já o prepúcio deve estar livre de aumentos de volume, prolapsos, abscessos, hematomas ou cicatrizes, principalmente que possam comprometer a exposição do pênis. Este último, por sua vez, deve ser examinado em repouso e ainda verificar sua capacidade de ereção pela manipulação da flexura sigmóide (“S” peniano) ou por estímulos à ereção espontâ;nea ou induzida.


A palpação retal é realizada para avaliação dos órgãos genitais internos, que também pode ser feita por ultrassonografia. Assim, a genitália interna deve ser avaliada quanto sua simetria, forma, volume e integridade do tecido. A ultrassonografia também pode complementar o exame dos testículos por possibilitar a detecção de lesões no parênquima testicular, como fibroses.


Dando continuidade ao exame andrológico completo, a avaliação do comportamento sexual é de fundamental importâ;ncia, visto que o macho deve estar habilitado a detectar as fêmeas em estro e realizar a cópula completa, demonstrando capacidade de serviço. Neste sentido, o teste da libido possibilita a avaliação do comportamento sexual e pode se basear na criteriosa sequência de pontuação. O interesse sexual pode ser identificado pelos seguintes quesitos: identificação de fêmeas em estro; cheiradas; cabeçadas; lambidas; movimento de Flehmen; movimentos pélvicos e pingados de sêmen ou plasma seminal. Segundo Fonseca (1989), o macho pode ser classificado de acordo com a nota obtida no teste da libido: zero a três – questionável; quatro a seis – bom; sete a oito – muito bom e; nove a dez – excelente ou superior.


Este exame deve ser realizado em curral ou baia frente a um grupo de fêmeas (ex: cinco fêmeas sendo que duas devem estar em estro). O tamanho do curral ou baia deve ser baseado no tamanho do grupo de fêmeas, de modo que os animais possam se movimentar livremente, entretanto, sem que o macho necessite correr excessivamente e comprometa seu desempenho. A interpretação do teste da libido deve ser bastante criteriosa, considerando as condições de meio em que foi realizado, devendo o laudo acompanhar a citação do método utilizado.


Tabela 1. Teste de libido, segundo Osborne (1971), modificado por Chenoweth (1974).


 



A parte final do exame andrológico é a colheita e a análise de uma amostra representativa de sêmen. A colheita de sêmen pode ser realizada por eletroejaculação ou por vagina artificial. Vale ressaltar que existe uma grande variação na concentração e volume espermático relacionada ao método de colheita, logo este deve ser referido na ficha do exame.


Após a obtenção da amostra de sêmen, esta deve ser imediatamente avaliada quanto às características físicas. O volume do ejaculado é dependente do método de colheita e não existe valor mínimo ou máximo estabelecido. O aspecto qualitativo e quantitativo pode ser avaliado visualmente pela cor e aspecto. A cor é alterada devido à presença de urina, sangue ou pus; enquanto o aspecto pode ser classificado em aquoso, leitoso, cremoso-fino, cremoso e cremoso espesso. Esta classificação apresenta relação com a concentração espermática.


O turbilhonamento ou motilidade em massa é avaliada em microscópio óptico, com objetiva de 10 ou 20 vezes de aumento. Esta avaliação mede a intensidade de movimentação dos espermatozóides resultante da motilidade individual, do vigor e da concentração espermática. A escala de avaliação varia de zero a cinco, em que zero representa a ausência de movimento de massa e cinco, acentuada movimentação.


A motilidade é uma avaliação subjetiva do percentual de espermatozóides com movimentos progressivos. Esta é realizada em microscópio óptico com objetiva de 10 ou 40 vezes de aumento. O vigor deve ser avaliado concomitantemente, aferindo a intensidade de movimentação dos espermatozóides individualmente. A escala de avaliação também varia de zero a cinco, em que zero representa células paradas e cinco, movimento vigoroso e de alta velocidade.


A concentração espermática é representada pelo número de espermatozóides por unidade de volume ejaculado. O método mais comum é a contagem em câ;mara de Neubauer em microscópio óptico com objetiva de 10 ou 20 vezes de aumento. A concentração varia em função de fatores extrínsecos (método de coleta, frequência de cópulas) e intrínsecos (idade, biometria testicular). Esta avaliação pode ainda ser realizada pelo espectrofotômetro, que fundamenta-se no emprego de fotocolorímetro, aparelho que permite medir a quantidade de feixe luminoso que passa por um volume de sêmen diluído em uma proporção estabelecida.


As características morfológicas ou patologias dos espermatozóides seguem uma classificação em defeitos maiores e menores, segundo a origem dos defeitos (tabela 2). Entretanto, para efeito de laudo deverá ser discriminada, individualmente, a incidência das anormalidades encontradas. Esta discriminação permitirá, a qualquer técnico, identificar as anormalidades e fazer sua interpretação própria do laudo. Para este exame é preparado um esfregaço o qual é corado e avaliado em microscopia óptica, sob imersão, com aumento de 1.000 vezes. É indicado complementar este exame, em microscópio com dispositivo de contraste de fase, por preparação úmida, ou ainda, o utilizar métodos de coloração específicos para determinadas partes dos espermatozóides. A técnica(s) utilizada(s) para avaliação da morfologia deverá ser referenciada no laudo técnico.


Tabela 2. Classificação morfológica segundo Blom, 1973.


 



A análise seminal pode ter seu resultado comprometido por erros na execução da técnica, desse modo, é importante que o técnico avalie essa possibilidade e repita a análise quando achar necessário.


Ao final do exame andrológico, de posse dos resultados do exame clínico geral, do comportamento sexual (avaliação da libido) e da análise seminal quanto às características físicas e morfológicas, o médico veterinário poderá classificar o macho como apto, inapto ou questionável.


A categoria “apto” ou “satisfatório” é usada para animais que atingirem ou ultrapassarem o limite mínimo recomendado para circunferência escrotal, motilidade e morfologia espermáticas, e não apresentarem qualquer característica física anormal ou razão que possa comprometer seu desempenho reprodutivo.


“Inaptos” ou “insatisfatórios” são aqueles machos que não atingirem o limite mínimo recomendado em uma ou mais características e para os quais é improvável que haja melhora na classificação. Nessa categoria também estão incluídos animais com defeitos genéticos ou problemas irreversíveis que possam comprometer seu uso como reprodutor. Na categoria “questionável”, estão incluídos os machos que devem aguardar novos exames. Essa classificação é recomendada para machos imaturos ou que sofrem de um problema transitório que os impede de serem classificados como satisfatórios na época do exame, mas indica que o animal pode melhorar com a idade ou o período convalescente. Também inclui animais em que houve problemas na colheita de sêmen e que apresentam características seminais abaixo ou próximas dos limites mínimos e que podem melhorar em futuras avaliações.



http://www.shopveterinario.com.br/artigos/como fazer um bom exame andrologico em bovinos/

O conteúdo presente no texto acima é responsabilidade dos Autores citados

Gostou do conteúdo animal acima! Então compartilhe em suas Redes Sociais:

Letras de Música com temas Animais:

bulletGato fujão cantora sol

bulletMarcha doo cachorr

bulletHaja amor

bulletMar e Lua

bulletQue nem o meu cachorro



Dicas Veterinárias:

bulletFezes e posse responsável : qual é a conexão ?

bulletRemoinhos na testa dos cavalos e seus possíveis significados!!

bulletA indiferença humana levando outras espécies ao sofrimento e a morte

bulletDieta vegetariana para cães e gatos

bulletDermatite atópica canina: descubra tudo sobre a doença



Ver todas as Dicas Veterinárias



Colunistas - Veterinários que escrevem sobre temas aos leitores

bullet Roberta Basile. Médica Veterinária CRMV/SP 31852 http://www.equinocare.com.br>

bullet M.V Helena Monkevic Casarin 19 993353793>

bullet Rafael Claro Marques (CRMVSP 18.849) é médico veterinário e pósgraduado em Clínica Médica de Pequenos Animais dr.rafael@clinicapontegrande.com.br>

bullet >

bullet André Barreto www.andrebarreto.com 1150936244 / 25037333>



Cinema, Filmes e Seriados:

bulletA morte anda a cavalo (da uomo a uomo / death rides a horse)

bulletGatos numa roubada (tomcats)

bulletRin tin tin - o filme

bulletPets a vida secreta dos bichos

bulletFamoso pra cachorro (in the doghouse)



Ver todos os filmes e seriados

Livros Animais

bulletO homem que amava os cachorros

bulletLivro definitivo de dicas e sugestoes de jardinagem

bulletO gato que tocava brahms

bulletMemorias de um gato

bulletNo meu peito não cabem pássaros

Ver todos os Livros

Digite aqui a palavra-chave


© Desde 2000 na Web - CONTEÚDOANIMAL.com.br - Todos os direitos reservados - Créditos