Home Page > Raças & Espécies > Cães > Bearded collie

Bearded collie

beardedcollie

País de origem: Grã-Bretanha
Nome no país de origem: Bearded Collie
Utilização: Pastoreio e companhia
Sem prova de trabalho
APARÊNCIA GERAL: cão magro e ativo. Embora fortemente construído, deve
mostrar bastante luz sob o tronco e não deve parecer muito pesado. Esperto, expressão
curiosa é uma característica distinta da raça.
PROPORÇÕES IMPORTANTES
• mais longo que alto, numa proporção aproximada de 5 para 4, medido da ponta
do esterno à ponta do ísquio
• as fê;meas podem ser ligeiramente mais longas.
• a distância entre o stop e o occipital deve ser igual à largura entre os orifícios
das orelhas.
COMPORTAMENTO / TEMPERAMENTO: alerta, vivaz, auto-confiante e ativo.
Seguro, cão de trabalho inteligente, sem nenhum sinal de nervosismo ou agressividade.
CABEÇA: em proporção ao seu tamanho. A impressão geral é a de um cão de
focinho forte e com bastante espaço para o cérebro.
Crânio: largo, plano e quadrado.
Stop: moderado.
REGIÃO FACIAL
Trufa: grande e quadrada, geralmente preta, mas, normalmente, harmonizando-se
com a cor da pelagem nos cães azuis e marrons. A trufa de cor sólida, sem manchas
ou marcas.
Focinho: forte e de comprimento igual à distância entre o stop e o occipital.
Lábios: de cor sólida, sem manchas ou marcas. Sua pigmentação acompanha a cor
da trufa.
4
Maxilares / Dentes: dentes grandes e brancos. Os maxilares são fortes,
preferencialmente com uma perfeita, regular e completa mordedura em tesoura. A
mordedura em torquê;s é tolerada, mas indesejável.
Olhos: em harmonia com a cor da pelagem; inseridos bem afastados e grandes, de
expressão doce e afetuosa, sem serem protuberantes. A pigmentação das pálpebras
acompanha a cor da trufa. As sobrancelhas são arqueadas para cima e para frente,
sem, no entanto, serem longas a ponto de encobrir os olhos.
Orelhas: de tamanho médio e pendentes. Quando em alerta, as orelhas elevam-se na
base e ficam em nível ao topo do crânio, mas sem ultrapassá-lo, aumentando a
aparê;ncia de largura do crânio.
PESCOÇO: de comprimento moderado, musculoso e ligeiramente arqueado.
TRONCO: o seu comprimento provém do comprimento da caixa torácica e não do
lombo.
Dorso: nivelado.
Lombo: forte
Peito: profundo, dando bastante espaço para acomodar o coração e os pulmões.
Costelas bem arqueadas, mas não em forma de barril.
CAUDA: inserida baixa, sem ser dobrada ou torcida, longa o suficiente para que a
última vértebra caudal atinja, ao menos, a ponta do jarrete. Portada baixa e com a
ponta curvada para cima, quando o cão está parado ou em movimento. Pode ser
estendida quando em velocidade. Jamais portada sobre o dorso. Revestida de pelagem
abundante.
MEMBROS
ANTERIORES: membros retos e verticais, com boa ossatura, totalmente revestidos
de pelagem abundante.
Ombros: bem inclinados para trás.
Metacarpos: flexíveis, sem fraqueza.
5
Patas: ovais, com boas almofadas plantares. Dedos arqueados e juntos, bem
revestidos de pelos, inclusive entre as almofadas.
POSTERIORES: bem musculosos.
Joelhos: bem angulados.
Pernas: boas.
Jarretes: baixos.
Metatarsos: a parte baixa da perna desce em um ângulo reto ao solo e, em posição
normal, deve estar logo atrás da linha vertical abaixo da ponta do ísquio.
Patas: ovais, com boas almofadas plantares. Dedos arqueados e juntos, bem
revestidos de pelos, inclusive entre as almofadas.
MOVIMENTAÇÃO: elástica, suave e com longo alcance, cobrindo o solo com um
mínimo de esforço.
PELAGEM
Pelo: dupla, com o subpelo macio e cerrado. O pelo de cobertura é plano, áspero,
forte e eriçado; não é lanosa nem encaracolada, embora uma leve ondulação seja
admitida. A pelagem possui comprimento e densidade suficientes para oferecer uma
boa proteção e para valorizar a silhueta do cão, mas não o bastante para esconder as
linhas naturais do corpo. De maneira nenhuma a pelagem deverá ser tosada. A cana
nasal é raramente coberta por pelos ligeiramente mais longos nas laterais, de maneira
a encobrir os lábios. A partir das bochechas, do lábio inferior e abaixo do queixo, o
comprimento dos pelos aumenta na direção do peito, formando sua típica barba.
COR: cinza ardósia, fulvo avermelhado, preto, azul, todos os tons de cinza, marrom
e areia, com ou sem marcas brancas. Quando possui branco, este aparece no focinho,
como uma marca na cabeça, na ponta da cauda, no peito, nos membros e nas patas;
no caso de colar branco, as raízes dos pelos brancos não devem se estender atrás
dos ombros. O branco não deve aparecer acima dos jarretes na parte externa dos
membros posteriores. Ligeiras marcas castanhas são admitidas nas sobrancelhas, na
parte interna das orelhas, nas bochechas, sob a raiz da cauda e nos membros, onde o
branco se junta com a cor principal da pelagem.
6
TAMANHO
altura ideal na cernelha: machos: 53 a 56 cm.
fê;meas: 51 a 53 cm.
A qualidade do conjunto e as proporções devem ser consideradas antes do tamanho,
mas variações excessivas da altura ideal devem ser desencorajadas.
FALTAS: qualquer desvio dos termos deste padrão deve ser considerado como
falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade e seus efeitos na saúde e bem
estar do cão e em sua habilidade para executar seu trabalho tradicional.
FALTAS DESQUALIFICANTES
• agressividade ou timidez excessiva.
• todo cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou de
comportamento deve ser desqualificado.
NOTA:
• os machos devem apresentar os dois testículos, de aparê;ncia normal, bem
descidos e acomodados na bolsa escrotal.



Gostou do conteúdo animal acima! Então compartilhe em suas Redes Sociais:

Letras de Música com temas Animais:

bulletquadradinho tipo borboleta

bulletTelevisão de cachorro

bulletPassaro azul

bulletCobra Venenosa

bulletPassaro



Dicas Veterinárias:

bulletHidroterapia

bulletActinobacilose

bulletVocê deixa seu cachorro cheirar tudo em volta?

bulletO meu gato é louco?

bulletHepatite contagiosa canina



Ver todas as Dicas Veterinárias



Colunistas - Veterinários que escrevem sobre temas aos leitores

bullet Camila de Oliveira Cruz Medicina Veterinária na Universidade Anhembi Morumbi, São Paulo/SP>

bullet Rita Ericson http://bichosaudavel.com/anestesia-em- caes-e-gatos/>

bullet Marne Campos
aquarismo online [aqol]
www.aquaonline.com.br>

bullet Dra Renata Avancini Médica veterinária, formada pela Universidade de Santo Amaro em 2007. Mestre e Doutora em Ci?ncias pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ) da Universidade de S?o Paulo (USP), em 2009 e 2012 respectivamente. Graduada em 2014 no Curso de Especialização em Produção e Sanidade de Animais de Biotério pela FMVZ USP. Experi?ncia em clínica geral, medicina regenerativa, biotecnologia com concentração em células tronco e experi?ncia em doc?ncia na disciplina de Anatomia dos Animais Domésticos. Professora de Anatomia Veterinária da Faculdade das Metropolitanas Unidas (FMU) e na Universidade Paulista (UNIP). Médica veterinária na CURAVET. Contato: contato@curavet.com.br>

bullet Virgínia Figuerôa (11) 55061144 / virginia@ecco.inf.br>



Cinema, Filmes e Seriados:

bulletA verdadeira história do gato de botas (la véritable histoire du chat botté / the true story of puss n boots)

bulletErrado pra cachorro (who s minding the store?)

bulletBud, o cão amigo - air bud

bulletO encantador de cavalos / o senhor dos cavalos (the horse whisperer)

bulletUm natal bom pra cachorro (chilly christmas)



Ver todos os filmes e seriados

Livros Animais

bulletO homem que amava os cachorros

bulletEnfermidades dos cavalos

bulletCama de gato

bulletUm gato entre os pombos

bulletAtlas colorido de anatomia veterinária do cão e gato

Ver todos os Livros

Digite aqui a palavra-chave


© Desde 2000 na Web - CONTEÚDOANIMAL.com.br - Todos os direitos reservados - Créditos