Home Page > Raças & Espécies > Cães > Borzoi

Borzoi

borzoi

País de origem: Rússia
Nome no país de origem: Russkaya Psovaya Borzaya Barzoï
Utilização: Caça e corrida
Sem prova de trabalho
RESUMO HISTÓRICO: o Russkaya Psovaya Borzaya tem sido parte integrante
da cultura nacional e da história russa durante nove séculos. A crônica francesa do
século XI atesta que trê;s Borzóis seguiram a fi lha do Grande Duque de Kiev, Anna
Iaroslavna, quando ela chegou à França, para tornarse
esposa de Henrique I. Entre
os proprietários e os criadores, havia muitas pessoas famosas, incluindo os Tzares e os
poetas: Ivan “O Terrível”, Pedro “O Grande”, Nicolas II, Pushkin, Turgenev. A criação
do famoso canil “Pershinskaya Okhota” pelos ilustres criadores, o Grande Duque
Nicolai Nicolaievitch e Dimitri Valtsev, teve uma grande importância. Desde o fi m
do século XIX, o Borzoi é visto entre as maiores criações da Europa e das Américas.
APARÊNCIA GERAL: cão de aparê;ncia aristocrática, de tamanho grande, de
constituição ao mesmo tempo, seca e robusta, de construção ligeiramente alongada. As
fê;meas são geralmente mais longas que os machos. Ossatura forte, mas não maciça.
Os ossos são bastante planos. Musculatura seca, bem desenvolvida, especialmente
sobre as coxas, mas sem relevo. A harmonia das formas e de movimentos é de suma
importância.
PROPORÇÕES IMPORTANTES:
nos
machos, a altura na cernelha é igual ou ligeiramente superior à altura da
garupa ao solo.
nas
fê;meas, essas alturas são iguais.
a
altura da cernelha deve ser ligeiramente inferior ao comprimento do corpo.
a
profundidade do peito é aproximadamente igual à metade da altura na cernelha.
o
comprimento do focinho, do stop à extremidade da trufa, é igual ou ligeiramente
superior ao comprimento do crânio, do occiptal ao stop.
COMPORTAMENTO / TEMPERAMENTO: em sua vida diária, o Borzoi tem
uma característica tranqüila e equilibrada. Avistando a caça, ele se excita subitamente.
Possui um olhar penetrante, capaz de enxergar muito longe. Sua reação é impetuosa.
CABEÇA:vista de cima ou de perfi l, é seca, longa, estreita e aristocrática. Vistas de
perfi l, as linhas do crânio e focinho formam uma linha longa, ligeiramente convexa.
A linha da crista sagital é reta ou ligeiramente oblíqua em direção à bem marcada
protuberância occipital. A cabeça é tão elegante e seca que as principais veias se
mostram através da pele.
REGIÃO CRANIANA
Crânio: estreito. Visto de cima: alongado em uma forma oval; visto de perfi l, quase
plano.
Stop: levemente marcado.
REGIÃO FACIAL
Tr ufa: grande, móvel, consideravelmente saliente em relação ao maxilar inferior.
Cana nasal: longa, cheia em todo seu comprimento, ligeiramentearqueada próximo
à trufa.
Focinho: o comprimento do focinho, do stop à extremidade da trufa, é igual ou
ligeiramente superior ao comprimento do crânio, do occipital ao stop.
Lábios: fi nos, secos, bem ajustados. O contorno dos olhos, os lábios e a trufa são
pretos, qualquer que seja a cor da pelagem.
Maxilares / Dentes:mandíbula forte. Dentes brancos, fortes; mordedura em tesoura
ou em torquê;s.
Olhos: grandes, levemente proeminentes, expressivos; de cor avelã escura ou marrom
escura; de forma amendoada, mas não acentuado em demasia; inseridos obliquamente.
Orelhas: pequenas, fi nas , fl exíveis, inseridas acima da linha dos olhos e para trás,
apontando quase em direção à nuca quando não está alerta . As extremidades das
orelhasestão situadas próximas uma da outra ou direcionadas para baixo ao longo do
pescoço e bem aderentes a ele. Quando o cão está em alerta, as orelhas são portadas
mais para cima, sobre os lados ou para a frente. Às vezes, uma ou as duas orelhas
estão eretas como orelhas de cavalo.
PESCOÇO: longo, seco, lateralmente plano, musculoso, ligeiramente arqueado,
nunca portado alto.
TRONCO
Cernelha: não marcada.
Dorso: largo, musculoso, elástico, formando com o lombo e a garupa uma curva que
6
é mais pronunciada nos machos. O ponto mais alto desta curva está situado a frente
da metade do lombo ou na região da 1 a ou 2 a vértebras lombar.
Lombo: longo, proeminente, musculoso, moderadamente largo.
Garupa: longa, larga, ligeiramente inclinada. A largura da garupa, medida entre as
duas saliê;ncias do osso do ilíaco (cristas ilíacas), não deve ser inferior a 8cm.
Peito: de seção transversal oval, não estreito, mas não mais largo do que a garupa,
profundo, bem desenvolvido em comprimento, espaçoso, descendo quase até o nível
dos cotovelos. A região das escápulas é mais plana e se alarga gradualmente em direção
as falsas costelas, que são curtas. Visto de perfi l, forma uma mudança de inclinação.
As costelas são longas e ligeiramente proeminentes. O antepeito é ligeiramente
proeminente em relação à articulação escápuloumeral.
Linha infer ior: bem esgalgada. A linha inferior se eleva abruptamente em direção
ao ventre.
CAUDA: em forma de foice ou sabre, inserida baixa, fi na e longa. Passando por entre
os membros posteriores, ela deve atingir a saliê;ncia do osso do ilíaco (crista ilíaca),
guarnecida de abundante penacho. Quando o cão estiver parado naturalmente, a
cauda fi ca portada para baixo. Em ação, é elevada, mas não acima do nível do dorso.
MEMBROS
ANTERIORES: secos, musculosos; vistos de frente, perfeitamente retos e paralelos.
A altura dos membros anteriores, do cotovelo ao solo é igual ou ligeiramente superior
à metade da altura na cernelha.
Ombros: as escápulas são longas e oblíquas.
Braços: moderadamente oblíquos; seu comprimento é apenas superior ao comprimento
da escápula. Ângulo da articulação escápuloumeral
bem pronunciado.
Cotovelos: situamse
em planos paralelos ao plano mediano do corpo.
Antebraços: secos, longos, de seção transversal oval; vistos de frente, estreitos;
vistos de perfi l, largos.
Metacarpos: ligeiramente oblíquos em relação ao solo.
POSTERIORES: vistos por trás: retos, paralelos e inseridos ligeiramente mais
afastados que os anteriores. Quando o cão está parado naturalmente, a linha vertical
que desce da tuberosidade isquiática (ponta das nádegas) deve passar à frente do
centro do jarrete e do metatarso.
Coxas: bem musculosas, longas, colocadas obliquamente.
Per nas: longas, musculosas, colocadas obliquamente. As articulações femorotibial e
tíbiotarsiana
bem desenvolvidas, largas e secas; os ângulos devem ser bem marcados.
Metatarsos: não são longos, colocados quase verticalmente. Todas as articulações
são bem anguladas.
PATAS: secas, estreitas, de uma forma oval alongada (chamada “pés de lebre”); dedos
arqueados, fechados; unhas longas, fortes, tocando o solo.
MOVIMENTAÇÃO: quando não está caçando, a movimentação típica do Borzoi
é o trote alongado, sem esforço, muito fl exível e fl utuante; quando está caçando, o
galope é extremamente rápido com passadas de grande amplitude.
PELE: fl exível, elástica.
PELAGEM
Pê;lo: sedoso, macio e fl exível, ondulado ou formando cachos curtos, mas nunca
cachos apertados pequenos. Na cabeça, nas orelhas e nos membros, o pê;lo é acetinado
(sedoso, porém mais pesado), curto, bem assentado. No corpo, o pê;lo é bastante longo
e ondulado; na regiões das escápulas e da garupa, ele forma cachos mais fi nos; nas
costelas e coxas, o pê;lo é mais curto; os pê;los que formam as franjas, os “culotes”
e o penacho da cauda são mais longos. O pê;lo do pescoço é denso e abundante.
COR: todas as combinações de cores, mas nunca com azul, marrom (chocolate) e
nenhuma derivação dessas cores. Todas as cores podem ser sólidas ou manchadas.
As franjas, os “culotes” e o penacho da cauda são consideravelmente mais claros do
que a cor de fundo. Para as cores encarvoadas, a máscara preta é típica.
TAMANHO:
altura desejável na cernelha: machos: 75 a 85cm
fê;meas: 68 a 78cm
8
Nos machos, a altura na cernelha é igual ou apenas superior à altura da garupa ao solo.
Nas fê;meas, essa altura é igual. Os cães cujo tamanho ultrapasse a altura máxima são
admitidos, contanto que a morfologia típica seja preservada.
FALTAS: qualquer desvio dos termos deste padrão deve ser considerado como falta
e penalizado na exata proporção de sua gravidade, especialmente :
Dentes
· pequenos, gastos anormalmente. Falta de 1PM2.
· falta dos PM1 e M3 não são levados em consideração.
Cor
· marcas pequenas da mesma tonalidade que a cor básica.
FALTAS GRAVES
Aparê;ncia geral
aparê;ncia atarracada; tronco curto .
· pesada, ossos redondos.
Cabeça
· pele fl ácida.
· focinho grosseiro.
stop muito pronunciado.
arcos zigomáticos muito pronunciados.
occipital não pronunciado .
Dentes
· falta de um PM3, de um PM4 (maxilar inferior), de um M1 (maxilar superior), de
um M2.
Olhos
· profundamente inseridos; amarelosou claros; olhos fendidos (abertura palpebral
muito estreita); 3ª pálpebra aparente.
Pescoço
presença de barbelas.
Orelhas
· espessas, grosseiras, com as extremidades arredondadas.
Dorso
· selado, dorso reto nos machos.
Garupa
· garupa de ganso.
Ventre
· pendente, insufi cientemente esgalgado.
Cauda
· grosseira; em ação, caída.
Membros anteriores
ângulo escápuloumeral
muito aberto (ombros retos).
cotovelos virados para dentro ou para fora.
antebraços: sessão transversal redonda. Qualquer desvio do antebraço.
Estrutura defeituosa da junção do carpo (punho), permitindo que o mesmo seja
fl exionado para a frente sob o peso do cão (knuckling over).
metacarpos fracos.
Membros posteriores
angulação exagerada ou muito reta.
jarretes fechados ou espalhados.
Patas
tendê;ncia para patas largas, redondas, grossas; pés de gato, patas achatadas;
dedos esparramados.
Pê;lo
· cor: salpicos no corpo de outra tonalidade que a cor básica.
FALTAS ELIMINATÓRIAS
Comportamento / Temper amento
agressividade ou timidez excessiva .
10
Dentes
· prognatismo inferior ou superior.
· torção de mandíbula.
· falta de 1 incisivo, de 1 canino, de 1 molar (PM4 do maxilar superior, M1 do
maxilar inferior); ausê;ncia de mais de 4 dentes (quaisquer que sejam).
· posicionamento incorreto de um ou de dois caninos do maxilar inferior, de modo
que, quando a boca estiver fechada, possa danifi car a gengiva superior ou o palato.
Olhos
· porcelanizados.
Cauda
· em forma de sacarolha,
quebrada (vértebras soldadas), cortada, mesmo que
parcialmente.
Posteriores
· presença de ergôs.
Cor
· marrom (chocolate), azul.
NOTAS:
· os machos devem apresentar os dois testículos, de aparê;ncia normal, bem descidos
e acomodados na bolsa escrotal.
· todo cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou de comportamento
deve ser desqualifi cado.



Gostou do conteúdo animal acima! Então compartilhe em suas Redes Sociais:

Letras de Música com temas Animais:

bulletO ovo e a galinha

bulletMary loo

bulletCê topa?

bulletA vaca já foi pro brejo tião carreiro e pardinho

bulletTaximetro



Dicas Veterinárias:

bulletDoença de pele devido a alergias alimentares em cães

bulletataque de abelhas como se proteger e o que fazer?

bullettransfer?ncia de embri?o no equino

bulletOlhos de amigo

bulletRegurgitação em cães



Ver todas as Dicas Veterinárias



Colunistas - Veterinários que escrevem sobre temas aos leitores

bullet Daniel Zacharias Zago Médico Veterinário Clínica Geral e Reprodução Equina 11 82627922>

bullet Patricia Oliveira>

bullet Keila Regina de Godoy>

bullet Susana Reinhardt Cintra Superintendente do Serviço de Registro Genealógico da Raça Bret?o, Zootecnista. ABCCBret?o (19) 38077974/ 97154545 (Susana). Email: cavalobretao@uol.com.br. André Galv?o Cintra Presidente da ABBCBret?o e Criador>

bullet Dr. Carlos Artur Lopes Leite é médico veterinário graduado pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e especialista em Micologia Médica pela Carl von Ossietzky Universität (Alemanha). É também mestre em Medicina e Cirurgia Veterinárias pela UF>



Cinema, Filmes e Seriados:

bulletBud 2 - o atleta de ouro - air bud: golden receiver

bulletAs nove vidas de fritz - o gato (the nine lives of fritz the cat)

bulletSempre ao seu lado

bulletK-9 - um policial bom pra cachorro (k-9)

bulletV



Ver todos os filmes e seriados

Livros Animais

bulletNosso planeta verde - 100 ótimas propostas para trabalhar na educação infantil

bulletGato viriato

bulletPássaros amarelos

bulletPequenos passaros

bulletO gato e a revolução

Ver todos os Livros

Digite aqui a palavra-chave


© Desde 2000 na Web - CONTEÚDOANIMAL.com.br - Todos os direitos reservados - Créditos