Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]


Home Page > Raças & Espécies > Cães > Bóxer

Compartilhe em suas redes sociais:

Bóxer

boxer

País de origem: Alemanha
Nome no país de origem: Deutscher Boxer
Utilização: Companhia, guarda e trabalho
Sujeito à prova de trabalho para campeonato internacional.
RESUMO HISTÓRICO: o pequeno, assim chamado Brabant Bullenbeisser, é
considerado como o ancestral imediato do Bóxer. No passado, a criação dos
Bullenbeissers ficou na sua maior parte nas mãos dos caçadores com quem trabalhavam
durante a caça. Sua tarefa era segurar firmemente a presa perseguida pelos cães de
caça, até a chegada dos caçadores que a matavam. Para esse trabalho, o cão tinha
que ter a boca quanto maior possível, com uma dentadura ampla para prender e reter
firmemente a caça. Qualquer Bullenbeisser com tais características era o mais indicado
para esse trabalho, sendo assim utilizado na criação. Nessa época, apenas habilidade
para o trabalho era critério de seleção para uso na criação. Esse critério de seleção
levou à produção de um cão de focinho largo e nariz arrebitado.
APARÊNCIA GERAL: o Bóxer é um cão de tamanho médio, pelo liso, compacto,
robusto, de construção quadrada e ossos fortes. A musculatura é seca, fortemente
desenvolvida e nitidamente definida. Sua movimentação é enérgica, poderosa e nobre.
O Bóxer não deve ser nem grosseiro, nem pesado, nem muito leve, nem sem
substância.
PROPORÇÕES IMPORTANTES:
a) comprimento do tronco / altura na cernelha: a construção é quadrada, isto é,
a horizontal da cernelha e as duas verticais, uma tangenciando a ponta do ombro e
a outra a ponta do ísquio, formam um quadrado.
b) profundidade do peito / altura na cernelha: o peito alcança os cotovelos. A
profundidade do peito é a metade da altura na cernelha.
c) comprimento da cana nasal / comprimento da cabeça: o comprimento da
cana nasal em relação ao crânio é de 1:2 (medido respectivamente da ponta da
trufa até o canto do olho ou, respectivamente, do canto do olho ao occipital).
COMPORTAMENTO / TEMPERAMENTO: o Bóxer deve ter nervos firmes,
ser seguro, tranquilo e equilibrado. Seu temperamento é da maior importância e requer
maior atenção. Sua ligação e fidelidade para com seu dono e sua família, sua vigilância
e sua intrépida coragem são conhecidas há muito tempo. Ele é dócil no meio familiar,
mas desconfiado com estranhos. Alegre e afetuoso na brincadeira, contudo destemido
4
quando a situação é seria. Fácil de ser treinado graças a sua docilidade, segurança,
coragem, mordacidade natural e aptidões olfativas. Pouco exigente e limpo, é tão
agradável e apreciado em seu círculo familiar tanto como cão de guarda quanto de
companhia. Seu caráter é franco, sem falsidade ou hipocrisia, isso até em idade
avançada.
CABEÇA: é a parte do Bóxer que lhe confere o aspecto característico. Deve ser
bem proporcionada ao corpo, sem parecer leve ou pesada. O focinho deve ser o
mais largo e poderoso possível. A beleza da cabeça depende da relação proporcional
entre as medidas do focinho e do crânio. Qualquer que seja o ângulo que se olhe a
cabeça, de frente, de cima ou de perfil, o focinho deve sempre ser proporcional ao
crânio, quer dizer, jamais parecer muito pequeno. A cabeça deve ser seca, sem rugas.
Entretanto, rugas naturais são formadas na região craniana quando o cão está muito
atento. Com origem na face dorsal da raiz do focinho, rugas naturais descem
simetricamente pelas faces laterais. A máscara escura se limita ao focinho e deve ser
nitidamente separada da cor da cabeça, a fim de a expressão não parecer sombria.
REGIÃO CRANIANA
Crânio: a região craniana deve ser tão estreita e angulada quanto possível. É
ligeiramente arqueado, sem ser muito redondo e curto, nem plano; nem muito largo.
O occipital não é muito pronunciado. O sulco frontal é ligeiramente marcado, não
deve ser muito profundo, especialmente entre os olhos.
Stop: a testa forma um nítido stop com a cana nasal. A cana nasal não deve ser
encurtada na testa como no Bulldog, nem caída para frente.
REGIÃO FACIAL
Trufa: larga e preta, levemente arrebitada, com narinas largas. A ponta da trufa fica
ligeiramente mais alta em relação a sua raiz.
Focinho: é poderosamente desenvolvido nas 3 dimensões de volume, nem pontudo
nem estreito, nem curto ou plano. Sua forma é determinada por:
a) a forma da mandíbula;
b) a posição dos caninos;
c) a forma dos lábios.
Os caninos devem ser implantados os mais separados possíveis e de bom tamanho.
O plano anterior do focinho é, portanto, largo, quase quadrado, formando um ângulo
obtuso com a linha superior do focinho. O contorno do lábio superior pousa no
contorno do lábio inferior. O lábio inferior, no terço anterior da mandíbula curvada
5
para cima, não pode ultrapassar muito a frente, nem tampouco ocultar-se sob o lábio
superior. O queixo projeta-se à frente do lábio superior de maneira bem nítida, tanto
de frente, quanto de perfil, sem por isso assemelhar-se ao do Bulldog. Os caninos,
os incisivos e a língua não devem ser visíveis enquanto a boca estiver fechada. A
fenda do lábio superior é bem visível.
Lábios: completam a forma do focinho. O lábio superior é espesso, cheio e enche o
espaço deixado pelo maxilar inferior mais longo além de ficar apoiado nos caninos
inferiores.
Maxilares / Dentes: o maxilar inferior ultrapassa o maxilar superior curvando-se
ligeiramente para cima. O Bóxer é prognata. O maxilar superior é largo na sua junção
com o crânio e diminui muito pouco para frente. Os dentes são fortes e saudáveis.
Os incisivos são preferivelmente alinhados. Os caninos são bem separados e de bom
tamanho.
Bochechas: são desenvolvidas em relação aos fortes maxilares, sem que com isso
sejam demasiadamente pronunciadas. Fundem-se ao focinho em uma leve curva.
Olhos: os olhos escuros não são nem muito pequenos, nem proeminentes, nem
profundos. A expressão denota inteligê;ncia e energia, não deve ser nem ameaçadora,
nem penetrante. As pálpebras devem ser de cor escura.
Orelhas: as orelhas naturais (não cortadas) são de tamanho apropriado. Inseridas de
lado na parte mais alta do crânio. Em repouso, são portadas pendentes rentes às
faces e voltam-se para frente, fazendo uma dobra bem marcada, especialmente quando
o cão está em atenção.
PESCOÇO: a linha superior se estende em uma elegante curva desde uma nuca bem
marcada até a cernelha. Deve ser de bom comprimento, redondo, forte e musculoso.
TRONCO: quadrado, membros retos.
Cernelha: deve ser marcada.
Dorso: incluindo o lombo, deve ser curto, firme, reto, largo e musculoso.
Garupa: ligeiramente inclinada, larga e ligeiramente arqueada. A bacia (ou osso pélvico)
deve ser longa e larga, especialmente nas fê;meas.
Peito: profundo, alcançando os cotovelos. A profundidade do peito é a metade da
altura na cernelha. Antepeito bem desenvolvido. Costelas bem arqueadas mas não
em forma de barril, bem estendidas para a traseira.
6
Linha inferior: descreve uma curva elegante para a traseira. Flancos curtos e firmes,
ligeiramente levantados.
CAUDA: de inserção mais para alta que para baixa. A cauda é de comprimento
normal e permanece natural.
MEMBROS
ANTERIORES: vistos de frente, devem ser retos e paralelos com uma forte ossatura.
Ombros: longos e inclinados, firmemente ligados ao tórax. Não devem ser tão
carregados.
Braços: longos e fazendo um ângulo reto com a escápula.
Cotovelos: não demasiadamente juntos ao tórax, nem soltos.
Antebraços: verticais, longos, secos e musculosos.
Carpos: fortes, bem definidos, mas não exagerados.
Metacarpos: curtos, quase perpendiculares ao solo.
Patas: pequenas, redondas, compactas, com almofadas plantares bem acolchoadas
e duras.
POSTERIORES: muito musculosos; com músculos rígidos e visíveis sob a pele.
Vistos por trás: retos.
Coxas: longas e largas. Articulação coxofemoral e dos joelhos a menos obtusa
possível.
Joelhos: quando em stay, devem ter um alcance suficiente à frente para que possibilitem
traçar uma linha vertical, da ponta do ílio até o solo.
Pernas: muito musculosas.
Jarretes: fortes e bem definidos, mas não exagerados. Ângulo de aproximadamente
140°.
7
Metatarsos: curtos com ligeira inclinação, 95° a 100° ao solo.
Patas: levemente mais longas que as anteriores, compactas; com almofadas plantares
bem acolchoadas e duras.
MOVIMENTAÇÃO: viva e com muita força e nobreza.
PELE: seca, elástica, sem rugas.
PELAGEM
Pelo: curto, duro, brilhante e bem assentado.
COR: fulvo (dourado) ou tigrado. Fulvo se apresenta em diversas tonalidades, indo
do amarelo claro ao vermelho escuro; as tonalidades médias (vermelho amarelado)
são as mais bonitas. A máscara é preta. A variedade tigrada tem no sentido das costas
listras escuras ou pretas. O contraste entre as listras e a cor base deve ser nítido. As
marcas brancas não devem ser descartadas; elas podem ser bastante agradáveis.
TAMANHO / PESO
Altura na cernelha: machos: 57 a 63 cm.
fê;meas: 53 a 59 cm.
Peso: machos: acima de 30 kg (com +/- 60 cm na cernelha).
fê;meas: +/- 25 kg ( com +/- 56 cm na cernelha).
FALTAS: qualquer desvio dos termos deste padrão deve ser considerado como
falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade.
• comportamento / temperamento: falta de temperamento.
• cabeça: falta de nobreza e expressão típica; fisionomia sombria; cabeça de Pinscher
ou de Bulldog. Exemplar que baba; dentes e língua à mostra; focinho muito pontudo
ou muito leve. Cana nasal descendente; trufa marrom ou clara em certos pontos;
olhos de rapina; terceira pálpebra despigmentada.
Em orelhas inteiras: flutuantes, semi-eretas ou eretas, orelhas em rosa.
Torção ou desvio da mandíbula; implantação dentária defeituosa; dentes fracos
ou defeituosos por doença.
8
• pescoço: curto, grosso, com barbela.
• corpo: antepeito muito largo; peito profundo demais. Garupa caída; dorso
carpeado ou selado, magro, longo, estreito, nitidamente selado, não muito firme
na conexão com a garupa; lombo carpeado; bacia estreita; ventre caído; flancos
côncavos.
• cauda: inserção baixa, cauda quebrada.
• anteriores: frente francesa; ombros soltos; cotovelos soltos; metacarpos fracos;
pés de lebre, achatados ou abertos.
• posteriores: musculatura fraca; angulação de posterior pouco ou demais angulada;
pernas estreitas em forma de sabre; jarrete de vaca ou em barril, jarretes fechados,
ergôs; pés de lebre, achatados ou abertos.
• movimentação: bamboleante; pouca cobertura de solo; passo de camelo; rígida.
• cor: máscara excedendo além do focinho. Listras tigradas muito juntas ou pouco
marcadas; cor básica suja. Interferê;ncia de cores; marcas brancas indesejáveis,
tais como a cabeça inteiramente branca ou em um lado da cabeça. Outras cores
ou marcas brancas excedendo em um terço a cor de base.
FALTAS ELIMINATÓRIAS:
• agressividade ou timidez excessiva.
• cauda naturalmente nascida curta.
• todo cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou de comportamento
deve ser desqualificado.
NOTA:
• os machos devem apresentar os dois testículos, de aparê;ncia normal, bem
desenvolvidos e acomodados na bolsa escrotal.



Gostou do conteúdo animal acima! Então compartilhe em suas Redes Sociais:

Letras de Música com temas Animais:

bulletEstilo cachorro

bulletApesar de você

bulletCobras essiele

bulletPlaneta Água

bulletEnquanto houver razões



Dicas Veterinárias:

bulletDesordens mieloproliferativas em cães

bulletAusência de ânus em cães e gatos

bulletQue tamanho vai ficar meu filhote?

bulletTártaro, o grande vil?o dos dentes dos cães

bulletAlgas em seu Aquário



Ver todas as Dicas Veterinárias



Colunistas - Veterinários que escrevem sobre temas aos leitores

bullet Diskvet Telefone: (19) 32581887 / 33081887 / 33081886 Celular: (19) 93183040 (emergência) Email: diskvet@gmail.com Av. Antonio Carlos Couto de Barros, n? 1156 Sousas Campinas / SP>

bullet Karine Kleine www.grupokleine.com.br>

bullet Priscila Pinheiro - Pet Sitter

 

Bicho Feliz Pet Sitter

Site: https://sites.google.com/site/bichofelizpetsittercotiasp/

Whatsapp e celular: (11) 98586-9212

Twitter: @bichofelizps

>

bullet Marina Milos http://www.geocities.com/RainForest/6327/pag2.htm>

bullet Patricia Oliveira>



Cinema, Filmes e Seriados:

bulletO dia do gato

bulletO cachorro que salvou o natal (the dog who saved christmas)

bulletTarzan

bulletO pássaro das plumas de cristal (l uccello dalle piume di cristallo)

bulletA verdadeira história do gato de botas (la véritable histoire du chat botté / the true story of puss n boots)



Ver todos os filmes e seriados

Livros Animais

bulletLivro de banho galinha pintadinha

bulletO gato que tocava brahms

bulletFalando de passaros e gatos

bulletOs segredos dos gatos tudo para entender e ensinar o seu companheiro

bulletMemorias de um gato

Ver todos os Livros

Digite aqui a palavra-chave


© Desde 2000 na Web - CONTEÚDOANIMAL.com.br - Todos os direitos reservados - Créditos