Home Page > Raças & Espécies > Peixes > Chondrichthyes

Chondrichthyes

chondrichthyes
Origem: wikipédia, a enciclopédia livre
ir para: navegação, pesquisa
como ler uma caixa taxonómicachondrichthyeso
ocorrência: siluriano - recente
tubarão-azul (prionace glauca), exemplo de condropterígeo
tubarão-azul (prionace glauca), exemplo de condropterígeo
classificação científica
domínio: eukariota
reino: animalia
subreino: metazoa
filo: chordata
subfilo: vertebrata
infrafilo: gnathostomata
classe: chondrichthyes
huxley, 1880
ordens
ver texto
wikispecies
a wikispecies tem informações sobre: chondrichthyes
os chondrichthyes ou peixes cartilagíneos, que incluem os tubarões, as raias e as quimeras, muitas vezes classificadas como seláceos, são peixes geralmente oceânicos que possuem um esqueleto totalmente formado por cartilagem, mas coberta por um tecido específico, a cartilagem prismática calcificada
para além disso, apresentam 5-7 fendas branquiais dos lados do corpo ou na região ventral da cabeça, membranas nictitantes nos olhos (excepto nos lamniformes) e gancho pélvico (também conhecido como clásper) um órgão de copulação dos machos
muitas espécies de tubarões têm várias fiadas de dentes de substituição, mas outros têm os dentes transformados em placas
as espécies actuais deste grupo de peixes, (além dum grande número de formas extintas, conhecidas pelos seus fósseis), divide-se em dois clados (sub-classes):
elasmobranchii - que inclui os tubarões e as raias e
holocephali - as quimeras
índice
1 ecologia dos seláceos
2 hábitos reprodutivos dos seláceos
3 classificação dos seláceos
4 ligações externas
ecologia dos seláceos
os tubarões e as raias são os predadores de mais elevada ordem que se conhece no meio ambiente aquático por esta razão eles têm um papel muito importante nos ecossistemas aquáticos - principalmente nos oceanos, onde vive a maior parte destes animais, mas com várias espécies capazes de entrar em estuários pode dizer-se que a presença destes peixes num determinado biótopo determina o número e abundância das outras espécies de organismos aquáticos
no entanto, o equilíbrio da biocenose em que vivem os tubarões é relativamente frágil, uma vez que eles são canibais, alimentando-se também das suas próprias crias e uns dos outros por essa razão, a maioria das suas espécies estão consideradas em perigo, uma vez que foram objecto de pesca excessiva para além disso, a diminuição do número de tubarões numa área leva a alterações na composição específica de toda a biocenose, que pode transformar-se num sistema com muito menos biodiversidade e com menos valor económico esses animais posuem esqueleto cartilaginoso e as fendas branquiais não são protegidas além disso os condrictes não possuem bexiga natatória
hábitos reprodutivos dos seláceos
os tubarões e as raias têm uma estratégia reprodutiva muito diferente da maioria dos peixes: em vez de produzirem um grande número de ovos e larvas, estas espécies produzem normalmente um pequeno número de cocôs, as quais nascem já num tamanho que lhes permite alimentarem-se e defenderem-se dos seus inimigos (vivíparos ou ovovivíparos), ou então desenvolvem-se dentro dum ovo com uma casca coriácea, relativamente grande (10-15 cm) portanto sem valor para os predadores além disso, as fêmeas produzem uma hormona que se liberta na altura da gestação e que aparentemente as impede de comer durante algum tempo, diminuindo assim o número de inimigos das suas crias
para além da oviparidade e da viviparidade (semelhante à dos mamíferos), os tubarões e as raias apresentam também casos de ovoviviparidade, em que os fetos se desenvolvem dentro do útero materno, mas se alimentam, quer das substâncias nutritivas existentes no ovo, quer de fluidos segregados por glândulas existentes no oviducto
em alguns tubarões, a macho morde a fêmea no dorso para imobilizá-la e realizar a fertilização não é raro encontrar fêmeas dessas espécies com cicatrizes provenientes dessas mordidas acredita-se que isso foi uma pressão seletiva que levou as fêmeas a possuírem uma pele muito mais espessa do que os machos

Gostou do conteúdo animal acima! Então compartilhe em suas Redes Sociais:

Letras de Música com temas Animais:

bulletLágrimas de crocodilo joão carreiro e capataz

bulletRabo de galo polara

bulletPunk da periferia

bulletFeliz pra cachorro 5 à seco

bulletRock das Aranhas



Dicas Veterinárias:

bulletAcupuntura veterinária Visão Geral

bulletComo tornar economicamente viável a produção de leite

bulletO corte de caudas

bulletMorte precoce em filhotes

bulletApresentando um novo gato



Ver todas as Dicas Veterinárias



Colunistas - Veterinários que escrevem sobre temas aos leitores

bullet Pet Care Hospital Veterinário de S?o Paulo (11) 3740 2152 (11) 3743 2142 Av. Giovanni Gronchi, 3001 S?o Paulo SP>

bullet Camila de Oliveira Cruz Medicina Veterinária na Universidade Anhembi Morumbi, São Paulo/SP>

bullet Samantha Brasil
antropóloga criadora de labrador e yorkshire
www.canilalfakitnet canilalfa@globocom
(21) 3367 - 3247 / 3366 - 3900 / 8808 - 3001
ilha do governador - rio de janeiro>

bullet Gabriel Guerreiro Qual quer deuacute;vida ou sugesteatilde;o enbsp;estarei respondendo no email Gabriel_g_f@hotmail.com no twitter @AdestramentoDOG >

bullet dr josé aldo p em santos
médico veterinário
crmv: 5526 aldovet@bol.com.br
dr ricardo fernando correia
médico veterinário
crmv: 13039
rfcvet@mpc.com.br>



Cinema, Filmes e Seriados:

bulletPássaros livres (plumíferos - aventuras voladoras)

bulletUm homem chamado cavalo (a man called horse)

bulletO gato mais rico do mundo (the richest cat in the world)

bulletO gato e o violino (the cat and the fiddle)

bulletKing kong



Ver todos os filmes e seriados

Livros Animais

bulletVida de cão

bulletMemorias de um gato

bulletO estranho caso do cachorro morto

bulletUm gato indiscreto e outros contos

bulletFalando de passaros e gatos

Ver todos os Livros

Digite aqui a palavra-chave


© Desde 2000 na Web - CONTEÚDOANIMAL.com.br - Todos os direitos reservados - Créditos